Total de Km percorridos no dia: 206,8

Depois de comer, passar no banco e abastecer no posto ANCAP, com Super 95. Às 11h15 saímos de Montevidéu para percorrer os 180 km até Colonia do Sacramento, onde atravessamos o Río de la Plata com o Buquebus, até chegarmos em Buenos Aires na Argentina.

Chegamos em Colonia às 13h30; o Buquebus estava marcado para as 20h. Reservamos a tarde para conhecer a cidade, antes de partir para Argentina.

Assista ao vídeo que mostra nossa ida de Montevidéu a Colonia del Sacramento:

 

Colonia del Sacramento é considerada Patrimônio Histórico Cultural da Humanidade pela UNESCO. No Barrio Histórico (Centro Histórico) o que predomina é a arquitetura portuguesa, já que a cidade foi colônia de Portugal por vários anos. O que existe hoje é a sobra das inúmeras disputas entre Portugal e Espanha, por aquele valioso pedaço de terra às margens do Río de la Plata, pelo fácil escoamento de produtos através do rio.

Por 6 anos Colonia del Sacramento foi brasileira, já que após a independência do Brasil, em 1822, o Uruguai foi incorporado ao novo país (o Brasil). Porém apenas 6 anos depois o Uruguai também conquistou sua independência e desde então não houve mais conflitos pelas terras de Colonia.

Antes de irmos ao Barrio Histórico, paramos em um shopping center que fica na beira da Ruta 1, na entrada da cidade. Compramos algumas frutas no Supermercado Ta-Ta para nosso “almoço”.

Em nossa primeira parada no Barrio Histórico deixamos o carro em frente ao Centro de Informações Turísticas, ao lado do Portón de Campo, que é a entrada principal do Barrio Histórico, construído em 1745 para proteger a cidade de invasões.

Após passar pelo Portón de Campo, à direita, está a Plaza Mayor 25 de Mayo toda arborizada e com caminhos para caminhada. Antigamente este espaço era utilizado para manobras militares e como ponto de venda de produtos e escravos.

Ao redor da praça estão museus e ruas históricas que dão acesso ao rio.

O farol, fica ao lado das Ruinas del Convento de San Francisco. Ele tem dois lances, o primeiro mais baixo que o segundo. Fomos nos dois, em ambos a visão é parecida, dando para ver boa parte do Barrio Histórico, o Río de la Plata e sentir a força do vento.