Total de Km percorridos (de carro) no dia: 16,9

Depois de um dia corrido, onde passamos por muitos lugares e tivemos algumas surpresas, acordamos tarde e após o café fomos ao Carrefour comprar uns pães, presunto, queijo, bolo, miojo (para nossa janta) e umas cervejas, os secos levamos na viagem do dia seguinte e os molhados levamos ao Brasil.

Após guardar a compra na geladeira do hotel colocamos em prática alguns planos para mais um dia em Buenos Aires.

A ideia era ir ao famoso bairro La Boca, contudo o que lemos nos guias sobre a segurança por lá não nos animava. Ainda mais depois do nosso último dia onde fomos ao Retiro (lugar tranquilo segundo os guias) e fomos diversas vezes alertados por populares na questão de segurança. Achávamos que em La Boca seria muito pior, surgiu a ideia de irmos de táxi, depois quase desistimos de ir.

Por fim, fomos de carro com o seguinte pensamento: a gente passa lá, se vermos que não convêm parar, vamos embora. Resultado: fomos, paramos, conhecemos alguns pontos turísticos e nos sentimos no lugar mais seguro de Buenos Aires.

Antes passamos no Teatro Colón, a principal casa de ópera da cidade e um dos teatros de melhor acústica do mundo. Achamos a visitação muito cara (cerca de R$ 25,00 por pessoa), por isso só o vimos por fora.

Na rua de trás do teatro fomos alertados por seguranças, sobre um individuo que estava de olho em nossa máquina e disse para ficarmos atentos. Foi bom o alerta, o elemento também ouviu e se afastou da gente.

Dali vimos o Monumento a Juan Galo Lavalle, o Mirador Massüe (ex Palacio Costaguta) e o Palácio de Justiça da Nação Argentina.

Pegamos o carro no estacionamento e seguimos para La Boca, que fica a 5 quilômetros (20 minutos de carro) do hotel. No caminho paramos na Iglesia Ortodoxa Rusa de la Santísima Trinidad, que fica em frente ao Parque Lezama, no bairro San Telmo, espremida entre prédios. Sua arquitetura é muito diferente. A igreja estava fechada e no parque não havia muita coisa para ver.

Chegamos a La Boca e sentimos firmeza, a rua estava movimentada e cheia de turistas. Estacionamos o carro ao lado embaixo da arquibancada do Estádio Alberto Jacinto Armando, o La Bombonera, do Boca Juniors.

Fomos visitar o estádio, um verdadeiro templo do futebol mundial. Mas, outra vez fomos “barrados” pelo preço abusivo: ARS 100,00/pessoa (aproximadamente R$ 45) para visitar o museu. Tiramos foto da estátua do Maradona (isso era de graça) e depois por fora do estádio.

Do estádio fomos a pé ao Caminito, pela rua Dr. del Valle Iberlucea. O Caminito é uma rua-museu e talvez seja o lugar mais conhecido de Buenos Aires. O que mais chama a atenção é o colorido das casas dessa rua e dos arredores, as diversas obras de arte e as expressões artísticas. Nessa região também tem vários restaurantes e bares.