Vargem Bonita

Conheça a Cachoeira Casca d`Anta, na Serra da Canastra-MG

A Cachoeira Casca d’Anta é uma das atrações principais do Parque Nacional da Serra da Canastra, pois é a primeira queda do Rio São Francisco e a sexta maior do Brasil, com seus 187 metros de queda livre.

Há duas formas de conhecer a Casca D’Anta: a parte alta e a parte baixa. E embora a parte alta tenha sua importância por contemplar a nascente do Rio São Francisco e oferecer um lindo mirante do Vale da Canastra, a parte baixa é onde se pode ver toda a exuberância da cachoeira. Por isso, é para lá que fomos!

Acesso a Casca d’Anta parte baixa em Vargem Bonita-MG

Para chegar à parte baixa da Casca d’Anta, o acesso é pelo Portão 4 do Parque e, dentre as 6 cidades que rodeiam o a Serra da Canastra, Vargem Bonita é a mais próxima desse acesso, por isso escolhemos nos hospedar lá.

Veja onde se hospedar em Vargem Bonita-MG.

Da pousada até a entrada da Casca D’Anta a distância é aproximadamente 22km, com trechos de terra na sua maioria. Ao contrário do caminho para a parte alta da cachoeira, essa estrada não exige carro 4×4, inclusive fomos com nosso carro, que é baixo.

O grande bônus desse passeio é ir contemplando a beleza da Serra da Canastra, que tem esse nome por parecer um baú, objeto chamado de “canastra” pelos antigos habitantes da região.

Trilha para a Cachoeira Casca d’Anta

Ao chegar à entrada da cachoeira, vai encontrar um ótimo espaço para estacionar, bem como banheiros e quiosques. Pagamos R$10,00 por pessoa para entrar.

A trilha é curta e de fácil acesso, com apenas 5km ida e volta e não exige muito preparo físico. Mesmo assim, por ser bem aberta e com poucas sombras, pode ser cansativa nos horários mais ensolarados.

Cachoeira Casca d’Anta 

Mesmo há alguns metros da Casca D’Anta já é possível ouvir o som da queda, que é fortíssima! Tanto que o máximo que conseguimos chegar foi à aproximadamente 20 metros, e mesmo assim já ficamos molhados.

No inverno o fluxo de água é menor, mas como fomos em dezembro, época de chuvas, o volume de água estava bem grande.

Banho no Rio São Francisco

Se o banho na Casca D’Anta não é possível, o Velho Chico compensa com muitos metros de corredeiras, formando piscinas naturais em vários pontos. 

As fotos abaixo mostram bem a água do Rio São Francisco, muito limpa, sendo possível nadar e ver muitos peixinhos. Mas, apesar de o rio oferecer pontos rasos, é bom ficar esperto, pois em épocas de chuvas as “trombas d´água” são muito frequentes por lá.

 

Quem escreve?

Prazer, pode me chamar de Naty! Sou marketeira por profissão e blogueira nas horas vagas. Moro em SP, mas já morei na Nova Zelândia e confesso que tenho uma “quedinha” pela ideia de morar fora novamente. Adoro bichos e pessoas também, inclusive as mais incompreensíveis rs! E acredito que assim como a leitura, música, e todas as formas de arte, conhecer diferentes culturas amplia nosso conhecimento sobre o outro e sobre nós mesmos.

1 Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *