Total de Km percorridos no dia: 879,4

Acordamos bem cedo, tomamos café e às 7h50 partimos de Porto Alegre a Montevidéu. Uma viagem longa. Passamos pela Estação Ecológica do Taim, pela primeira vez atravessamos a fronteira do Brasil e fizemos paradas para conhecer alguns pontos do litoral uruguaio.

Entre Porto Alegre e Chuí, na altura da cidade de Rio Grande, a BR-471 corta a Estação Ecológica do Taim, a velocidade fica reduzida a 60 km/h pelo risco de algum animal atravessar a pista. Há vários animais atropelados na rodovia.

Paramos em um posto para almoçar. Restaurante self-service, comida boa e barata, mas não lembramos o nome do posto e não temos foto, ele fica aproximadamente a 115km de Chuí, na BR-471. Foi um almoço bem rápido.

Chegamos em Chuí às 13h50. Encontramos uma cidade bastante movimentada e um trânsito confuso na avenida que é a fronteira do Brasil com Uruguai. Paramos por ali para procurar uma casa de câmbio, são várias, porém com pressa não pesquisamos e trocamos na Cambio Nelson, que estava mais próxima do carro. Com câmbio de UR$ 8,50 (pesos uruguaio) para cada real. Trocamos R$ 580,00.

Fomos direto para a aduana, pois esquecemos que no Uruguai a gasolina era mais cara que no Brasil. Em Porto Alegre pagamos R$ 2,74 no litro da gasolina e no Uruguai UR$ 37,70 (R$ 4,44). Portanto, abasteça antes de atravessar a fronteira. Abastecemos no posto ANCAP com a Super 95.

Os procedimentos na aduana foram rápidos, duraram menos de 30 minutos.

 

– Veja a documentação necessária para entrar no Uruguai

.

Na altura do quilômetro 300 da Ruta 9, a estrada transforma-se uma pista de emergência para aviões, com 6 km de extensão, que eventualmente era utilizada por aviões que faziam a rota Montevidéu – Porto Alegre ou São Paulo, após a estrada ser fechada aos carros pela força militar.

 

Parque Nacional de Santa Teresa

Tempo do passeio: 2 horas
Endereço: Ruta 9 (ver mapa)
Investimento: R$2,00 (ingresso por pessoa)