Você já deve ter ouvido sobre Cartagena das Índias. É certo que lá tem lindas construções, passeios para belas praias, etc. e tal, mas não é sobre isso que vou falar neste post. Eu quero falar um pouco sobre a cultura desse lugar, que ganhou minha atenção e admiração, especialmente sobre o Mapalé.

A Colômbia é muito parecida com o Brasil, tem Amazônia, lindas praias, malandragem, gente bonita com muita ginga e muitos ritmos de música e dança.

Todavia o mais parecido é a história. Sim, aquela mesma história sofrida: índios exterminados, terras tomadas pelos europeus e muitos, mas muitos escravos trazidos da África. E pra quem não sabe, Cartagena já teve o maior porto de escravos da América do Sul.

O tempo passou, mas muitas marcas ficaram nos colombianos de Cartagena.

Não só marcas negativas, como o atraso e a pobreza, mas também positivas como a expressão e a alegria. Uma alegria incomum, de um povo livre após anos de escravidão. E é com essas duas marcas que surgiram tantos ritmos de dança “Mapalé”.

 

Reserve um hotel por aqui e ajude o blog a se manter, sem pagar nada a mais por isso.banner-booking

 

Mapalé

É impossível assistir uma apresentação de Mapalé e não se encantar.

O Mapalé é um ritmo de dança originado no caribe colombiano, às margens do Rio Magdalena, com total influência dos negros. A dança era um ritual para a pesca, mas com tempo foi ganhando sensualidade e ritmos muito mais frenéticos para acompanhar o compasso das flautas e tambores.

Atualmente esse ritmo é um dos mais tradicionais de Cartagena, basta dar uma voltinha a noite pela cidade murada que você poderá encontrar  uma apresentação em algum lugar público. Inclusive foi assim que eu o conheci.

Com certeza você ouvirá um som de tambores e flautas, tocadas com a mais perfeita harmonia de homens e meninos e depois, sendo de vestidos/calças longas ou com pouquíssima roupa, os movimentos dos colombianos e colombianas saradíssimos prenderão sua atenção até você ficar encantado com o Mapalé.

 

Veja a apresentação que assistimos na Praça Bolívar:

 

Candela Viva

Essa apresentação que você acabou de assistir é do grupo de dança Corporação Folclórica Candela Viva, um dos principais de Cartagena das Índias. Eles se apresentam em lugares públicos da cidade murada às segundas, terças, quintas, sextas e sábados.

E se você acha que o brasileiro é “campeão” quando o assunto é rebolado, acho que você vai mudar de ideia…

 

Lua-de-mel: Mochilão É Tetra!
Esse post faz parte da viagem “Lua de mel: Mochilão É Tetra!“, onde passamos pela Bolívia, Peru, Equador e Colômbia.