Praias

Islas del Rosario e Playa Blanca: O mar caribenho de Cartagena

Curtir um dia de sol no mar do Caribe é um sonho de quase todo turista, não é mesmo? Mas muitos acabam adiando esse passeio, devido o alto preço dos destinos mais tradicionais como Punta Cana e Cancún. Pensando nisso, aqui vai o relato da nossa visita as Islas del Rosario e a Playa Blanca, na região de Cartagena das Índias, Colômbia, que além de não deixar a desejar, ainda cabe no bolso!

 

Mergulho nas Islas del Rosario

É no Porto Muelle de la Bodeguita, no centro histórico de Cartagena, que ficam os guichês vendendo passeios de barco para o arquipélago del Rosario. Nem precisa comprar antecipado, basta chegar lá por volta das 8h.

Eles oferecem algumas opções de roteiro, como: ir para Playa Blanca (na Isla Baru) direto ou passando pelas Islas del Rosario, onde você têm duas opções: conhecer o oceanário ou fazer mergulho com snorkel na reserva de corais. Também há duas opções de transporte: lancha rápida ou catamarã. O catamarã é mais confortável, mas leva, pelo menos, o dobro do tempo da lancha.

Então escolhemos a seguinte opção: ida e volta em lancha rápida (COP 55.000/pessoa, ±R$ 72) com almoço incluso na Playa Blanca e parada na Isla del Rosario para mergulho, pagando à parte o aluguel dos equipamentos (COP 25.000/pessoa, ±R$ 33).

Ir de lancha rápida dá um certo frio na barriga, mas compensa! Em 40 minutos, chegamos na Isla del Rosario, a maior das 27 ilhas do arquipélago, que faz parte do Parque Nacional Natural Corales del Rosario y de San Bernardo, sendo uma das maiores reservas de corais do mar do Caribe.

Realmente as fotos não enganam, o lugar é sensacional: uma imensidão de mar com diversas tonalidade de azul!

Para iniciar a flutuação, recebemos o snorkel e a máscara para mergulho. O colete salva-vidas é opcional, pois os guias mantém o grupo reunido dentro da água com uma corda de apoio, que flutua devido estar amarrada em boias. Desta forma, quando o pessoal que está sem colete se cansa de nadar, podem se apoiar nelas.

A vantagem de não usar colete, é que se pode chegar até a parte mais profunda do mar. Eu fui de colete e o Lucas sem, ele disse que no começo para acostumar é complicado, pois a correnteza é forte – só vá sem colete se você realmente sabe nadar e se estiver com condição física para tal.

A quantidade e variedade de peixes é grande e o guia nos ensina como alimentá-los com algas, assim eles chegam bem pertinho da gente.

Ficamos aproximadamente 1 hora na água, mas por mim, ficaria mais uma. Foi uma sensação de liberdade e integração com a natureza sem igual. Com certeza, uma ótima escolha!

Aperte o play e assista ao vídeo do mergulho nas Islas del Rosario: Só vamos editar e publicar o vídeo quando este post tiver pelo menos 5 comentários =)

 

Playa Blanca, na Isla Baru

À medida que a lancha se aproximava da Playa Blanca, o tom do azul do mar ficava ainda mais claro, tanto que o Lucas nem esperou o barco ancorar e já pulou na água:

A praia é exatamente como vimos em fotos: areia branquinha, mar calmo e azulzinho. Só imaginávamos que a temperatura da água fosse mais quente.

Como de costume, a praia e a área de alimentação onde é servido almoço estavam lotadas.

Por isso, se tiver tempo é aconselhável passar uma noite por lá para curtir o fim de tarde e a manhã seguinte sem tanta muvuca. Eles oferecem redários, que não é “lá aquelas coisas”, mas por se tratar de uma paisagem típica caribenha, vale a pena!

O prato típico do almoço é: arroz de coco, peixe e salada. Apesar de vir pouca comida, estava muito bom. Mas se você tem bastante apetite como eu, leve uns lanchinhos na mochila, pois a tarde a fome vai chegar, e lógico, as comidas vendidas nas barracas são bem caras.

Após o almoço ficamos umas 2 horas nadando e relaxando na Playa Blanca. Achei o tempo curtíssimo, já que o lugar é delicioso demais. Da próxima vez, com certeza irei para passar a noite por lá, só para no dia seguinte ser a primeira a entrar na água.

Quanto custa o passeio pelas Islas del Rosario e Playa Blanca?

Lancha rápida às Islas del Rosario e Playa Blanca: COP 55.000 (±R$ 71,50)
Aluguel de snorkel: COP 25.000 (±R$ 32,50)
Ingresso ao Parque Nacional Natural Corales del Rosario y de San Bernardo: COP 7.000 (±R$ 9,10)
Taxa portuária (Muelle Turistico): COP 6.500 (±R$ 8,50)

* valores por pessoa

 

Lua-de-mel: Mochilão É Tetra!
Esse post faz parte da viagem “Lua de mel: Mochilão É Tetra!“, onde passamos pela Bolívia, Peru, Equador e Colômbia.

Quem escreve?

Prazer, pode me chamar de Naty! Sou marketeira por profissão e blogueira nas horas vagas. Moro em SP, mas já morei na Nova Zelândia e confesso que tenho uma “quedinha” pela ideia de morar fora novamente. Adoro bichos e pessoas também, inclusive as mais incompreensíveis rs! E acredito que assim como a leitura, música, e todas as formas de arte, conhecer diferentes culturas amplia nosso conhecimento sobre o outro e sobre nós mesmos.
Leia também
Nova Zelândia

Queenstown: O que fazer em 3 dias na cidade gastando pouco

Nova Zelândia

Trilha Queenstown Hill: Paisagem fascinante na Nova Zelândia

Nova Zelândia

Arrowtown: A antiga cidade do ouro da Nova Zelândia

Rotorua

Trilha na Redwoods Forest em Rotorua na Nova Zelândia

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Worth reading...
Dicas úteis de Cartagena das Índias