São Sebastião

Mais um fim de semana em Boiçucanga

Compramos as diárias em um site de compras coletivas. Pagamos 250 reais por casal para um fim de semana, na Pousada Vila da Mata, em São Sebastião. Essa promoção era válida somente para os meses fora de temporada, reservamos para agosto. Melhor frio no litoral, que calor em Santa Bárbara d’Oeste!

Saímos de Santa Bárbara d’Oeste às 6 horas. Fomos pelas rodovias SP-304, Anhanguera, Dom Pedro I, Carvalho Pinto, Tamoios e Rio-Santos. Só pegamos trânsito no entroncamento da Anhanguera com a Dom Pedro I, em Campinas, por causa do horário.

Como nosso check-in era apenas às 15 horas e chegamos em São Sebastião antes disso, paramos no mirante de Guaecá, que fica na Rodovia Rio-Santos (SP-55), e na Praia de Maresias, aproveitamos para fotografar e esticar as pernas.

Ao chegarmos à pousada descarregarmos as malas e conhecemos a pousada, depois fomos ao mercado comprar nossa janta e almoço do dia seguinte. A noite estava fria, mas isso não foi problema, pois ficamos curtindo a piscina aquecida da pousada.

 

2º Dia: De bicicleta à Camburi

Acordamos cedo para aproveitar bem o dia. Fomos tomar café, que muito nos impressionou pela qualidade e variedade, além da beleza do ambiente. Parece que abriu ainda mais o apetite e ficamos ali mais de uma hora curtindo a tranquilidade daquele ambiente.

Para quebrar a rotina de “andar de carro”, emprestamos as bicicletas da pousada. Como já conhecíamos a praia de Camburi e Camburizinho e por ser vizinhas de Boiçucanga, decidimos passar o dia lá. Mesmo sem entrar no mar, devido ao frio, são praias lindas para se fotografar e ideais para realizar um bom passeio. Fora a aventura de ir até lá de bicicleta. São pouco mais de 3 km.

Até Camburi, fomos pedalando pela Rio-Santos, que além da subida íngreme, nos exige muita atenção aos veículos que passam perto da gente em alta velocidade.

Embora estivesse ventando e o mar muito gelado, o dia estava lindo e muita gente aproveitou para tomar sol na praia.

Após tiramos muitas fotos e beber algumas “Stellas”, fomos embora felizes porque pela frente teria mais descida que subida! Mas a felicidade durou pouco, no decorrer daquele caminho maravilhoso as duas bicicletas quebraram!

Mesmo tendo que empurrar as bikes, passamos no Centro de Informações Turísticas Boiçucanga, na Praça Pôr do Sol e no mercado onde compramos uns lanches para nossa janta.

À noite resolvemos ficar na piscina aquecida, quando estávamos indo à piscina tinha um carro atolado no estacionamento. A saída principal estava obstruída e o rapaz tentou passar do outro lado, onde a terra estava encharcada, aí atolou. Fomos ajudar, o pessoal da pousada levou pás e toras de madeira. Após algum esforço o carro desatolou.

Como o eu (Lucas) ajudei a desatolar o carro me sujei todo, fora o capote que levei que se contar ninguém acredita. Aí foi só tomar uma ducha para tirar o barro do corpo e cair nas águas quentes da piscina para relaxar.


Praias de Juquehy e Barra do Una, no 3º dia (domingo, 7/ago)

No último dia resolvemos sair cedo para aproveitar a volta e conhecer outras praias de São Sebastião. Após tomar o café da manhã, arrumamos nossas coisas e fizemos check-out.

Voltamos pela Rodovia dos Imigrantes, então pegamos a Rio-Santos (SP-55) sentido São Paulo e paramos nas praias de Juquehy e Barra do Una.

 

Praia de Juquehy

Juquehy é bastante movimentada e tinha vários gringos. É uma praia com faixa de areia larga e plana e mar ideal para banho. Comemos milho e tomamos água de coco, depois resolvemos ir até as pedras do lado esquerdo.

Achamos que nossa caminhada seria rápida, deixamos todas nossas coisas lá na areia e fomos. No fim as pedras eram mais longe do que parecia e demoramos pouco mais de 1 hora para voltar. Mesmo assim, nossas coisas estavam todas lá.

 

Praia Barra do Una

Na Barra do Una ficamos do lado esquerdo da praia, próximo da foz do rio do Una, que forma uma bonita península com o mar e é rota de barcos. A areia é inclinada e a praia é boa para a prática de surf. Muito bonito o pôr do sol naquela praia.

Seguimos viagem. Sem congestionamento e sem chuva fomos por dentro de São Paulo para economizar cerca de 70 Km e pedágio se fossemos pelo Rodoanel Mário Covas.

 

Hospedagem em Boiçucanga

Ao chegarmos à Pousada Vila da Mata ficamos encantados! Ela realmente parece uma vila, os quartos são espalhados pelo terreno que é amplo e coberto de verde. Possui duas piscinas, uma no jardim, rodeada de bancos e plantas e outra coberta e aquecida.

Também achamos a Suíte Privilege (sem varanda) super luxuosa, possui itens normais como frigobar, ar-condicionado, ventilador de teto, TV com SKY. Mas o que nos agradou mesmo foi a cama queen size com lençol de algodão 180 fios e travesseiros com penas de ganso, era difícil querer sair da cama.

Mesmo com as noites frias ficamos curtindo a piscina aquecida.

 

Investimento total da viagem

R$ 250,00 – Hospedagem (casal)
R$ 200,00* – Álcool e pedágios
R$ 100,00* – Comes e bebes

R$ 550,00* – TOTAL
* valor aproximado

 

Data da viagem: 5 a 8 de agosto de 2011

Quem escreve?

Sou um típico bicho do mato! À primeira vista pareço um cara estranho, falo pouco, observo muito e quase nunca me enquadro socialmente. Adoro mapas, história e fotografia, inclusive, se eu não fosse programador poderia ser um ótimo arqueólogo. Mas tem alguns mundos onde me encaixo: em um mergulho no mar, no silêncio das montanhas, assistindo à queda de uma cachoeira e até mesmo, dentro de um bom museu.
Leia também
Nova Zelândia

Queenstown: O que fazer em 3 dias na cidade gastando pouco

Nova Zelândia

Trilha Queenstown Hill: Paisagem fascinante na Nova Zelândia

Nova Zelândia

Arrowtown: A antiga cidade do ouro da Nova Zelândia

Rotorua

Trilha na Redwoods Forest em Rotorua na Nova Zelândia

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *