Brasil

Nova Strada 2016: Campeã de vendas da FIAT, ainda mais competitiva

A picape Strada chega aos 14 anos de liderança de mercado em seu segmento e para seguir na frente, a linha 2016 chega com mais conteúdos de série, reforçando ainda mais seu excelente valor agregado.

Referência no segmento de picapes pequenas, com visual robusto, inovador e moderno, a Strada oferece grande versatilidade ao consumidor: três configurações de cabines, três opções de motorização e três níveis de acabamento.

As versões Adventure 1.8 Flex da picape Nova Strada 2016, Cabine Estendida e Cabine Dupla, são as mais completas. Em sua já vasta lista de equipamentos de série, essas versões ganham retrovisores externos elétricos, sensor de estacionamento, volante em couro com comando de áudio, rádio Connect com entrada USB e capota marítima. Esta versão tem o melhor custo x beneficio e o consumidor chega a economizar 2 mil reais, se compararmos a soma dos preços dos itens como opcionais.

Todas as versões Cabine Dupla da picape Strada também ganham porta óculos do lado do motorista como item de série. Item muito conveniente, principalmente para quem curte pegar a estrada.
Vale lembrar que a ela possui atualmente quase 65 acessórios Mopar, oferecendo ao cliente ainda mais opções para personalizar seu veículo. Entre eles, extensor de caçamba, central multimídia, rádio Easy4U e alarme integrado.

Com esses novos conteúdos de série, a picape da Fiat campeã em vendas chega ainda mais competitiva. Nos quatro primeiros meses deste ano, ela continua como líder dos comerciais leves, com mais de 54 mil unidades emplacadas de janeiro/2015 a junho/2015, sendo líder em seu segmento.

Abaixo, todas as versões da Nova Strada 2016 e seus respectivos preços:

  • Working 1.4 Flex – R$ 40.980
  • Working 1.4 Flex CE – R$ 44.690
  • Working 1.4 Flex CD – R$ 51.250
  • Trekking 1.6 Flex CD – R$ 58.310
  • Adventure 1.8 Flex CE – R$ 59.710
  • Adventure 1.8 Flex CD – R$ 65.870

 

*** Post patrocinado ***

Quem escreve?

Sou um típico bicho do mato! À primeira vista pareço um cara estranho, falo pouco, observo muito e quase nunca me enquadro socialmente. Adoro mapas, história e fotografia, inclusive, se eu não fosse programador poderia ser um ótimo arqueólogo. Mas tem alguns mundos onde me encaixo: em um mergulho no mar, no silêncio das montanhas, assistindo à queda de uma cachoeira e até mesmo, dentro de um bom museu.
Leia também
Nova Zelândia

Queenstown: O que fazer em 3 dias na cidade gastando pouco

Nova Zelândia

Trilha Queenstown Hill: Paisagem fascinante na Nova Zelândia

Nova Zelândia

Arrowtown: A antiga cidade do ouro da Nova Zelândia

Rotorua

Trilha na Redwoods Forest em Rotorua na Nova Zelândia

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *