O Portão do Inferno é um mirante da Chapada dos Guimarães, no Mato Grosso, que fica na beira da Rodovia Emanuel Pinheiro (MT-251) perto de uma curva perigosa. É um local recheado de lendas e mistérios, e também com alto índice de acidentes. Passamos por lá durante a Viagem de carro pelo Centro-Oeste brasileiro.

A Rodovia Emanuel Pinheiro (MT-251) liga a capital mato-grossense, Cuiabá, a Chapada dos Guimarães. No caminho há um trecho de serra com várias curvas e uma vista de tirar o fôlego.

Uma dessas curvas acompanha um precipício com mais de 50 metros de altura, formado por um paredão de arenito, é conhecida como Portão do Inferno. A origem desse nome é do século XVIII, nessa época todo acidente geográfico formado para baixo da terra era ligado ao inferno e seus derivados, já os que eram voltados para o céu tinham seus nomes relacionados com algo divino, como: Deus, santos, etc.

Nesse local tinha uma lanchonete, onde havia um mirante do Portão do Inferno e da Chapada dos Guimarães. Porém, ela está interditada por haver risco de desmoronamento, assim como alguns pontos turísticos da Chapada. Também não tem estacionamento e nem acostamento para parar o carro. Quando passamos por lá paramos na entrada de um sítio e tivemos que atravessar a estrada, o que é perigoso já que não dá para ver se vem carro depois da curva.

Por estar tudo fechado não é possível ver muita coisa, o que pode ser visto é parte do paredão do Portão do Inferno, a parte baixa da chapada e o relevo que se estende em direção da cidade de Cuiabá.

O paredão e o precipício do Portão do Inferno

O paredão e o precipício do Portão do Inferno

 

A lenda do Portão do Inferno

O Portão do Inferno é cercado de histórias sinistras envolvendo os acidentes que ali ocorreram.

Há uma lenda que é um verdadeiro desafio a lei da gravidade. Muitas pessoas relatam que ao colocarem o carro em ponto morto e desabilitarem os freios em uma subida, próxima ao Portão do Inferno, o carro desce ao invés de subir.

Uns defendem que isso acontece pela região possuir um campo magnético que puxa tudo para baixo. Outra versão diz que tudo que passa por lá é puxado para baixo pelas almas das pessoas que faleceram em acidentes naquela curva ou que foram jogadas no abismo por um coronel que as mataram e usava o Portão do Inferno para ocultar os cadáveres.

Conversamos com moradores da Chapada dos Guimarães sobre esse assunto e todos nos disseram que isso não passa de uma ilusão de óptica. Que é tudo lenda!

Por motivo de segurança (a estrada não tem acostamento) não fizemos o teste para comprovar o que realmente procede, mas na internet há vídeos sobre isso e separamos um para publicar aqui. Reparem que em certo momento um rapaz joga um pouco de água no asfalto e a água desce, assim como o carro. Isso reforça a teoria dos moradores. Assista:

 

E aí o que você acha? Comente!