6º Dia da viagem: 04/07/2013, quinta-feira

Dia de pegar a estrada e seguir até Conceição do Mato Dentro, na Serra do Espinhaço. Planejamos passar pelas cidades históricas Mariana e Santa Bárbara, porém houve uma mistura de falta de sinalização com falta de paciência e o resultado: erramos caminho e só chegamos no Distrito de Tabuleiro, em Conceição do Mato Dentro, perto da meia noite.

Acordamos, olhamos pela janela aquela visão das construções de Ouro Preto e deu uma tremenda vontade de ficar mais um dia. Mas roteiro é roteiro, se mudar o planejamento de um dia, é necessários mudar o restante e nosso tempo era curto.

Saímos às 11 horas de Ouro Preto sentido Mariana. Mal entramos na cidade já ficamos nervosos com a falta de sinalização. Entramos em duas ruas na contramão e não vimos placas para a Praça de Minas Gerais, onde ficam os principais pontos turísticos da cidade.

Em meio a confusão e sem GPS saímos da cidade por onde entramos e acabamos esquecendo que tínhamos que pegar outra estrada e ir sentido Santa Bárbara. Só depois de 70 quilômetros que percebemos a falha, nisso já estávamos perto de Ponte Nova.

Fica a dica: se você não conhece Minas e for para lá, leve um bom GPS! Sem ele erros serão inevitáveis, pois a sinalização naquele estado é escassa até na capital Belo Horizonte, uma das cidades sedes da Copa do Mundo FIFA 2014.

Voltar já não era opção. Traçamos um novo percurso indo por Itabira, a ideia era de lá seguir até Santa Maria de Itabira e Morro do Pilar, assim andaríamos 30 quilômetros na terra, todavia erramos novamente. Fomos sentido Bom Jesus do Amparo, aí não tinha mais como fugir da terra.

De Bom Jesus do Amparo até Morro do Pilar foram cerca de 80 km pela Estrada Real (não pavimentada). Mas apesar de a estrada ser de terra e ter trechos com bastante buraco, valeu à pena! A região é emoldurada por lindas paisagens e com sonoridade de diversas espécies de pássaros.

Paisagem da Estrada Real, na Serra do Espinhaço

Paisagem da Estrada Real, na Serra do Espinhaço

Se não tem sinalização nem nas cidades, em uma estrada de terra vai ter menos ainda, certo? Nem tanto! De vez em quando escolhíamos bifurcações na sorte, mas das diversas bifurcações, erramos somente duas. E logo percebíamos o erro ao notar a falta de marco às margens da Estrada Real – no site da estrada tem um texto que explica como se guiar na estrada usando os marcos. Assim ficava mais fácil saber o caminho correto.

Quando chegamos a Morro do Pilar, já à noite, pedimos informações a um homem sobre como chegar a Conceição do Mato Dentro. Ele nos apresentou duas opções: pela estrada de terra com 28 km ou pelo asfalto com 58 km. Disse ainda que pela terra era mais rápido e que a estrada estava em boas condições.

Cansados de tanta terra e por estar escuro fomos pelo asfalto.

Este trecho de 58 km teve um imenso grau de dificuldade, pois além da escuridão, tinha muitas curvas e para variar na MG-010 era raro ver sinalização de solo e quando tinha placas eram poucas as visíveis, muitas estavam cobertas pelo mato.

Quando chegamos a Conceição do Mato Dentro estávamos famintos. Paramos no primeiro lancheiro da cidade, o Rocha Lanches. Quando vimos o tamanho do pão pensamos que o lanche seria pequeno, mas nos enganamos, o lanche estava super-recheado vindo ao encontro da nossa fome.

Depois de comer fomos ao Distrito de Tabuleiro, onde fica o hostel que reservamos. Seguimos as explicações enviadas por e-mail e não tivemos problemas para chegar.

O hostel é logo no início do distrito. Chegamos e fomos recebidos pelo “Dog”, um vira lata negro, lindo e atrevido, que não parava de pular em nós e morder nosso calcanhar, nos impedindo de andar até a cozinha, que também naquele momento funcionava como recepção.

Fomos recebidos por uma moça, por sinal muito desinformada. Ela nos cobrou R$ 120,00, que é o preço de balcão da diária, porém na reserva por e-mail foi cobrado R$ 110,00. Batemos o pé, mostramos o comprovante do depósito da reserva, pagamos mais R$ 55,00 e ficou tudo certo.

Depois de um deslocamento de quase 11 horas e de um bom banho, dormimos.

 

Hospedagem em Conceição do Mato Dentro

Passamos uma noite no Tabuleiro Eco Hostel, não dá para gente falar muito dele, mas nos pareceu um lugar simples e agradável, em meio à natureza. Gostamos das comodidades do quarto, bem espaçoso e com uma cama muito confortável e a ducha era excelente. Porém no quarto tinha um pouco de poeira e “farelo” da parede no chão.

Embora só tivesse a gente no hostel aquele dia, o café da manhã estava delicioso e tivemos um atendimento, digamos, VIP. O carro ficou dentro do hostel em local próximo do carro o que facilitou o embarque e desembarque dos nossos pertences.

 

Mapa do dia

 

Investimentos do dia

Hospedagem: R$ 110,00*
Alimentação: R$ 19,00*
Combustível: R$ 70,00

* Valor para 2 pessoas

Km rodados no dia: 426,8
Total de km rodados na viagem: 
1.164,0