Tiradentes

Passeios de um dia por São João del-Rei e Tiradentes (1º dia #MG13)

No 1º dia da viagem Minas Gerais: História e Natureza, viajamos de Santa Bárbara d’Oeste com destino a Tiradentes. Pouco antes de chegar ao destino final, passeamos pelas ruas históricas de São João del-Rei, com destaques para a Igreja de São Francisco de Assis e seu cemitério, onde está sepultado o ex-Presidente eleito Tancredo Neves. Depois passeamos pelas ruas de Tiradentes e também visitamos lugares históricos.

De madrugada (5h) saímos de Santa Bárbara d’Oeste e à medida que foi amanhecendo, já podíamos prever um dia com sol intenso. A viagem foi tranquila e depois de 6 horas, por volta das 12 horas, chegamos a São João del-Rei. Mesmo sendo inverno, estava muito calor e por ser sábado a cidade estava bem movimentada.

Estacione o carro perto da Igreja de São Francisco de Assis e do Memorial Tancredo Neves. É um lugar mais afastado do centro comercial, no meio do caminho entre as principais atrações.

O primeiro lugar que visitamos foi a Igreja de São Francisco de Assis e depois o cemitério que fica atrás dela.

Na Praça, em frente a igreja, tem uma concentração de “guias turísticos”. Um deles nos abordou e começou a explicar várias coisas, mesmo sem a gente pedir. Não queríamos guia, queríamos apenas curtir o passeio. Tentamos desvencilhar dele até conseguir. Além disso, o guia pediu uma colaboração financeira pela explicação, não demos nada e ele ficou visivelmente alterado.

Igreja de São Francisco de Assis, em São João del-Rei

Igreja de São Francisco de Assis, em São João del-Rei

Para adentrar a igreja é preciso pagar R$ 3,00/pessoa. No seu interior tem muito ouro, alguns lustres de cristal, altares laterais e obras de Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho. O estilo da igreja é rococó. Uma das coisas que chamam atenção, não só nessa, mas em várias igrejas históricas de Minas Gerais, é a espessura das paredes.

 

Reserve um hotel por aqui e ajude o blog a se manter, sem pagar nada a mais por isso.banner-booking

 

Seguimos ao cemitério. Nele está sepultado o ex-presidente eleito do Brasil, Tancredo de Almeida Neves e sua esposa Risoleta Guimarães Tolentino. A visita ao cemitério é gratuita.

Fomos em direção ao centro comercial procurando algum lugar para almoçar. No caminho passamos pelo Passo “Cristo com Cruz às Costas”, Memorial Tancredo Neves e pela Ponte do Rosário, da onde avistamos a Ponte da Cadeia.

Procurando um restaurante passamos pela Rua Getúlio Vargas onde há vários monumentos históricos. Passamos pela Igreja de Nossa Senhora do Carmo e pelo Solar da Baronesa de Itaverava, que ficam no começo da rua.

Igreja de Nossa Senhora do Carmo, em São João del-Rei

Igreja de Nossa Senhora do Carmo, em São João del-Rei

Encontramos o Restaurante 611, no estilo “self service” com forno a lenha e comida a vontade a R$ 12,90 por pessoa. Valeu a pena, a comida estava excelente.

Ainda na Rua Getúlio Vargas passamos pela Catedral Basílica Nossa Senhora do Pilar e pela Capela de Nossa Senhora da Piedade. Depois seguimos até a Igreja Nossa Senhora do Rosário, onde ao lado fica o Solar dos Neves – local onde viveu o ex-presidente Tancredo Neves e sua família.

Voltamos ao carro e partimos para Tiradentes, que fica a pouco mais de 15 km de São João del-Rei. No caminho passamos pelo Monumento ao Expedicionário e pela Igreja de São Gonçalo Garcia.

Antes de chegar a Tiradentes notamos a intensa movimentação de motocicletas de vários estilos rumo à cidade. Neste dia estava acontecendo o Bike Fest (encontro de motocicletas). Tínhamos conhecimento do encontro, porém não imaginávamos que era tão grande. E também, devido ao evento, decidimos acampar, pois os preços dos hotéis e pousadas estavam muito acima do aceitável.

Conversando com um funcionário da Pousada Toro Real, ficamos sabendo que o valor da diária para esse evento é o segundo mais caro no ano, ficando atrás do carnaval.

Desde a entrada da cidade até a pousada tivemos que ir devagar quase parando, devido ao grande número de motos, carros e pedestres que cruzavam as ruas.

Chegamos a pousada e ocupamos o último lugar da área de camping, que só estava lá porque tínhamos feito a reserva com antecedência. Após armar a barraca fomos dar uma volta pela cidade, a pé é lógico, pois dirigir em meio aquela “muvuca” seria praticamente impossível.

Caminhamos pelas ruas do centro que estavam tomadas pelas motocicletas e por barracas. O Largo das Forras estava praticamente intransitável, tinha muita gente! Subimos em direção a Matriz de Santo Antônio, passando pelo Monumento a Tiradentes e pela Capela de São João Evangelista.

Matriz de Santo Antônio, em Tiradentes

Matriz de Santo Antônio, em Tiradentes

 

Reserve um hotel por aqui e ajude o blog a se manter, sem pagar nada a mais por isso.banner-booking

 

Da Matriz de Santo Antônio tem-se uma bela vista da Serra de São José.

Para fechar nossa caminhada por Tiradentes, passamos pela Igreja Nossa Senhora do Rosário, em seu largo tem vários barzinhos que também estavam lotados.

Conforme anoitecia o frio dava as caras. Retornamos à pousada e como tinha fila para tomar banho saímos para procurar alguma lanchonete. Pela indicação de um funcionário do camping fomos de carro até o Duan Lanches que além de possuir bom preço faz lanches saborosos, sem contar o quentão (forte!) que saiu por conta da casa.

Ao chegarmos ao camping, tivemos uma surpresa nada agradável: tinha acabado a energia! Mas logo a energia voltou e pudemos então tomar um bom banho. Dormimos por volta das 22 horas, estava muito frio, e mesmo com o camping cheio, não tivemos problemas com barulho.

 

Mapa do dia

 

Hospedagem em Tiradentes

Acampamos na Pousada Toro Real, que fica próxima do centro histórico e o atendimento é bom. A estrutura de camping é ótima, os chuveiros são bons, tem iluminação na área de camping que é toda gramada e ainda tem uma piscina a disposição dos hóspedes da pousada e camping. Porém, o camping dispõe apenas um banheiro para cada sexo, se alguém estiver tomando banho e você precisar usar não tem opção e tem somente uma tomada na área de camping.

 

Reserve um hotel por aqui e ajude o blog a se manter, sem pagar nada a mais por isso.banner-booking

 

Investimentos do dia

Hospedagem: R$ 50,00*
Alimentação: R$ 52,00*
Combustível: R$ 60,00
Pedágio: R$ 24,00
Passeios: R$ 6,00*

* Valor para 2 pessoas

Km rodados no dia: 543,2
Total de km rodados na viagem: 543,2

 

Passeios realizado no dia 29/06/2013, sábado.

Quem escreve?

Prazer, pode me chamar de Naty! Sou marketeira por profissão e blogueira nas horas vagas. Moro em SP, mas já morei na Nova Zelândia e confesso que tenho uma “quedinha” pela ideia de morar fora novamente. Adoro bichos e pessoas também, inclusive as mais incompreensíveis rs! E acredito que assim como a leitura, música, e todas as formas de arte, conhecer diferentes culturas amplia nosso conhecimento sobre o outro e sobre nós mesmos.
Leia também
Nova Zelândia

Queenstown: O que fazer em 3 dias na cidade gastando pouco

Nova Zelândia

Trilha Queenstown Hill: Paisagem fascinante na Nova Zelândia

Nova Zelândia

Arrowtown: A antiga cidade do ouro da Nova Zelândia

Rotorua

Trilha na Redwoods Forest em Rotorua na Nova Zelândia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *