Antes de mais nada, é bom que fique claro que o custo de um mochilão varia bruscamente de acordo com o perfil do mochileiro. Neste post vou abordar quanto custou fazer o Mochilão É Tetra!, meu mochilão de lua de mel, onde percorri com minha esposa quatro países da América do Sul (Bolívia, Peru, Equador e Colômbia) durante 35 dias.

Quanto custou fazer o Mochilão É Tetra?

Nosso perfil é econômico e com relação à alimentação beira a miséria.

Em nossas viagens criamos uma planilha de gastos desde o planejamento até durante a viagem, quando vamos atualizando com os valores finais, para não perder o controle financeiro e aproveitar melhor a grana – que é curta. Dividimos os gastos diários com alimentação, hospedagem, transportes (avião, ônibus, trem etc.), passeios etc.

 

Hospedagem

Viajamos em casal e em lua de mel, por isso, procuramos quartos privados, que nos dessem privacidade. Isso deixou a viagem um pouco mais cara que o mochilão de um solteiro, por exemplo. Mesmo assim, a média diária com hospedagem foi bem aquém do previsto: ±R$ 70 – quando o previsto era R$ 110. Nisso “economizamos” algumas platas.

Escolhemos as hospedagens pesquisando no nosso parceiro Booking.com, víamos qual era a opção mais em conta para quarto privado avaliávamos os comentários e a localização, assim a gente calculava o melhor custo-benefício.

 

Reserve um hotel por aqui e ajude o blog a se manter, sem pagar nada a mais por isso.banner-booking

 

Alimentação

Nosso perfil é econômico e viajamos para conhecer lugares e pessoas, provamos comida local quando ela é vendida a preço justo – somos contra o tal “raio gourmetizador” que deixa tudo uma fortuna. Neste quesito valeu quase tudo para economizar. No planejamento a média diária era de 50 reais e no final a média caiu para R$ 40,59. Para isso, chegamos a comer até resto de comida, por outro lado, também “luxamos” e chegamos a gastar 18 dólares (±R$ 55,50) em apenas um jantar.

Aí vai de cada um: você prefere comer mais/melhor e viajar menos ou viajar mais e se alimentar com refeições populares?

 

Transportes

Essa foi a parte pesada da viagem. Pouco mais de ¼ do orçamento foi gasto entre passagens aéreas, de ônibus, de trens, taxis e traslados. As passagens aéreas e o trem para Machu Picchu foram verdadeiros assaltos, não teve como economizar. Nesse quesito tentamos economizar evitando taxi: onde dava para ir de busão a gente ia – usamos e abusamos do transporte coletivo, principalmente no Equador e na Colômbia, onde são bastante eficientes.

 

Passeios

Alguns passeios são indispensáveis como: Machu Picchu, Salar de Uyuni, linhas de Nazca e caribe. A maioria deles é cara, para explorar o turista mesmo. Então como fugir dessa exploração? Pesquisando e evitando agências, desse modo você já vai economizar.

Nós pesquisamos bastante sobre Machu Picchu (o passeio mais caro da viagem) e chegamos a conclusão que dava para ir por conta. Porém como não tínhamos tempo, pagamos caro no trem. Mesmo assim, saiu mais barato que contratando uma agência: ±R$ 610/pessoa (trem, ônibus e ingresso para estudante). Mas se você tiver tempo você pode economizar ainda mais: fazendo uma trilha ou indo de ônibus e depois caminhando.

Outro caso é das linhas de Nazca, há a opção de fazer o tour aéreo, você pode ir direto ao aeroporto e contratar um piloto. Há “cartel” e os preços são parecidos: entre 200 a 250 dólares por pessoa para o voo de 30 a 40 minutos. Totalmente inviável para gente, mas havia outra opção: ir de taxi aos mirantes e museu. Assim, ficou 154 soles (±R$ 174) a corrida para os dois e com guia (o taxista).

Enfim, pesquisa é a chave da economia.

 

Reserve um hotel por aqui e ajude o blog a se manter, sem pagar nada a mais por isso.banner-booking

 

Despesas extras

Presentes, lembrancinhas, seguro viagem, gorjeta… Enfim, tudo que não está relacionado acima, na nossa planilha entra como despesas extras. E nessa viagem fizemos o seguro viagem na Mondial Travel, a ideia é não usar, mas com a altitude e com os vários dias longe de casa, foi bom fazer, ficamos mais tranquilos.

 

Resumo dos investimentos

Passagens aéreas: R$ 4.376,43
Passagens de ônibus e trem: R$ 3.161,20
Hospedagem: R$ 2.474,67
Passeios: R$ 2.465,26
Alimentação: R$ 1.420,75
Taxi: R$ 488,37
Extras: R$ 548,39
_______________________
TOTAL: R$ 14.935,06
Média: R$ 426,72/dia (35 dias)

 

Lua-de-mel: Mochilão É Tetra!
Esse post faz parte da viagem “Lua de mel: Mochilão É Tetra!“, onde passamos pela Bolívia, Peru, Equador e Colômbia.