Praias

Reserva Nacional de Paracas em Ica, no Peru

Fotografar no mesmo dia: deserto, mar, lindos animais e praias exuberantes é uma rara oportunidade, por isso é que vale tanto a pena visitar a Reserva Marinha de Paracas, na província de Ica, no Peru.

A Reserva de Paracas foi declarada como tal em setembro de 1975 com objetivo de preservar sua área desértica e marítima. Essa área abrange o total de 335.000 hectares, sendo que 200.000 ficam na costa do pacífico. Além das Islas Ballestas, todo o entorno da Reserva é rico em diversidade de flora e fauna, por isso a área é tão importante para o Peru.

Dica: Caso você queira ficar mais tempo em cada atração da reserva, você pode alugar um carro e apenas comprar as entradas das atrações em uma agência de turismo da cidade.

 

Como conhecer a Reserva Nacional de Paracas

Há muitas agências de turismo na cidade, quais oferecem diversas opções de passeios dentro da Reserva. Há passeios individuais para Islas Ballestas ou passeio completo, sendo de barco pelas Islas e de ônibus pelas praias Lagunillas e Roja.

Compramos nosso passeio na agência Paracas Explorer e pagamos cerca de S/ 120 (+/- R$130) pelo passeio completo, que incluindo: Passeio de barco pelas Ilhas Ballestas, taxa portuária e tour de ônibus pela Reserva de Paracas com parada no Museu Julio C. Tello e nas praias Lagunillas e Roja.

Do centro de Paracas, em poucos minutos já chegamos à primeira parada: O Museu Julio C. Tello. O museu é pequeno e tem exposições sobre o antigo homem de Paracas, que habitou a região há mais de 2.000 mil anos. Não o visitamos, pois preferimos observar o imenso deserto, a lagoa e os flamingos. Infelizmente não podemos chegar mais perto deles, pois a área é protegida.

 

Reserve um hotel por aqui e ajude o blog a se manter, sem pagar nada a mais por isso.banner-booking

 

Parada na Playa Lagunillas

Próximo das 12h chegamos a Playa Lagunillas, simplesmente um dos lugares mais bonitos que visitei no Peru, uma imagem linda, composta de deserto, mar, rochas e muitos pássaros. Incrível!

Ficamos cerca de 2 horas em Lagunillas, onde almoçamos, fotografamos e até daríamos um mergulho se a água não estivesse tão gelada 🙁

 

Parada na Playa Roja

A última parada foi na Bela Playa Roja, traduzindo: praia vermelha. O nome foi dado devido ao imenso paredão avermelhado que acompanha toda a orla da praia.

Essa parada foi somente para fotografias:

 

Parada no mirante da La Catedral

La Catedral é uma enorme formação rochosa de centenas de anos, que infelizmente teve boa parte destruída pelo terremoto de 2007.

 

Lua-de-mel: Mochilão É Tetra!
Esse post faz parte da viagem “Lua de mel: Mochilão É Tetra!“, onde passamos pela Bolívia, Peru, Equador e Colômbia.

Quem escreve?

Prazer, pode me chamar de Naty! Sou marketeira por profissão e blogueira nas horas vagas. Moro em SP, mas já morei na Nova Zelândia e confesso que tenho uma “quedinha” pela ideia de morar fora novamente. Adoro bichos e pessoas também, inclusive as mais incompreensíveis rs! E acredito que assim como a leitura, música, e todas as formas de arte, conhecer diferentes culturas amplia nosso conhecimento sobre o outro e sobre nós mesmos.
Leia também
Nova Zelândia

Queenstown: O que fazer em 3 dias na cidade gastando pouco

Nova Zelândia

Trilha Queenstown Hill: Paisagem fascinante na Nova Zelândia

Nova Zelândia

Arrowtown: A antiga cidade do ouro da Nova Zelândia

Rotorua

Trilha na Redwoods Forest em Rotorua na Nova Zelândia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *