Viagens

Roteiro da viagem de carro pelas cidades históricas de MG

Nossa viagem pelas cidades históricas de Minas Gerais partiu da ideia de fazer uma viagem curta usando nosso saldo de férias, teria que ser uma viagem de carro e nacional para não gastar muito dinheiro. Escolhemos sair dia 29 de junho para emendar o feriado paulista de 9 de julho. Fizemos nosso roteiro pelas cidades históricas de Minas Gerais incluindo a capital mineira, Belo Horizonte, e uma passada pela região da Serra do Espinhaço.

Incluímos no roteiro dormir em Tiradentes, Ouro Preto, Conceição do Mato Dentro, Diamantina e BH, passando por São João del-Rei, Mariana, Santa Bárbara, Congonhas, Serro e distrito de Milho Verde.

Aqui no blog, no Facebook e no Twitter, essa viagem recebeu a tag #MG13. Todos os posts com essa tag no título são referentes a essa viagem.

Nosso roteiro ficou assim:

1º dia (29/06): Santa Bárbara d’Oeste a Tiradentes, passando por São João del-Rei
2º dia (30/06): Calçada dos Escravos em Tiradentes
3º dia (01/07): Santuário do Bom Jesus de Matosinhos (Tiradentes a Ouro Preto)
4º dia (02/07): Roteiro a pé: Museus em Ouro Preto
5º dia (03/07): Roteiro a pé: Igrejas de Ouro Preto
6º dia (04/07): Ouro Preto a Conceição do Mato Dentro, passando por Mariana e S. Bárbara
7º dia (05/07): Conceição do Mato Dentro a Diamantina, passando por Serro
8º dia (06/07): Passeio em Diamantina
9º dia (07/07): Diamantina a Belo Horizonte
10º dia (08/07): Passeios em Belo Horizonte
11º dia (09/07): Belo Horizonte a Santa Bárbara d’Oeste

 

Fizemos esse roteiro basicamente como foi feito o roteiro da Viagem UAC, as dicas estão nesse post: O Sonho UAC #005: Fazendo o roteiro.

 

Nessa viagem não levamos GPS, levamos apenas um mapa rodoviário, e no 6º dia erramos caminho e pegamos muitas estradas de terra. Enfim, com esse equívoco, nosso trajeto ficou parecido com isso:

Se você pretende ir para Minas Gerais leve um bom GPS lá praticamente não existe sinalização, seja nas estradas ou dentro das cidades e quando tem placa: muitas estão danificadas ou cobertas por mato e/ou árvores. Até na capital Belo Horizonte a sinalização deixa a desejar, mesmo com os investimentos para a Copa do Mundo FIFA 2014.

Mesmo com estradas razoáveis e com falta de sinalização, valeu muito a pena visitar essas cidades mineiras, além do banho cultural, elas ainda são “bonitas por natureza”.

Quem escreve?

Sou um típico bicho do mato! À primeira vista pareço um cara estranho, falo pouco, observo muito e quase nunca me enquadro socialmente. Adoro mapas, história e fotografia, inclusive, se eu não fosse programador poderia ser um ótimo arqueólogo. Mas tem alguns mundos onde me encaixo: em um mergulho no mar, no silêncio das montanhas, assistindo à queda de uma cachoeira e até mesmo, dentro de um bom museu.
Leia também
Nova Zelândia

Queenstown: O que fazer em 3 dias na cidade gastando pouco

Nova Zelândia

Trilha Queenstown Hill: Paisagem fascinante na Nova Zelândia

Nova Zelândia

Arrowtown: A antiga cidade do ouro da Nova Zelândia

Rotorua

Trilha na Redwoods Forest em Rotorua na Nova Zelândia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *