Tiradentes

Santuário do Bom Jesus de Matosinhos (3º dia #MG13)

3º Dia da viagem: 01/07/2013, segunda-feira

Não levantamos tão cedo, e até desarmar a barraca e arrumar as malas fomos sair do camping às 10h.

Como já estava tarde preferimos nem tomar café e fomos direto à Congonhas, antes de ir para Ouro Preto. Passamos por São João del-Rei para abastecer, já que lá o combustível estava muito mais barato que em Tiradentes.

Chegamos ao Santuário do Bom Jesus de Matosinhos, considerado Patrimônio Mundial da Unesco, em Congonhas, às 12h20.

Visitamos a Basílica somente por fora, pois ela estava fechada. Em frente a basílica ficam 12 esculturas dos apóstolos feitas em pedra sabão por Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho.

 

Ladeira a baixo tem seis capelas com cenas da Paixão de Cristo com obras de Aleijadinho, Francisco Xavier Carneiro e Mestre Ataíde. A quantidade e a qualidade das obras impressionam.

 

Na região também tem lojinhas de artesanato, alguns restaurantes e lógico, não poderia faltar: guias turísticos.

Na sequência fomos na Igreja Matriz da Conceição, antes passamos pela Romaria que fica no final da Alameda Cidade Matosinhos de Portugal, que por sua vez é repleta de palmeiras nas duas margens.

A Igreja Matriz da Conceição estava fechada, só tiramos algumas fotos por fora.

Descemos a rua até o centro onde procuramos por um restaurante com bom preço. Encontramos o Restaurante do Tio, a comida era boa e tinha várias opções de salada e mistura. Comemos a vontade por R$ 12,90 cada.

Depois do almoço subimos longos e íngremes quarteirões até chegar onde estacionamos o carro, afinal, subidas e descidas são características marcantes dessa e de outras cidades históricas de Minas Gerais.

Saímos de Congonhas e partimos para Ouro Preto. E só após passar pela Serra de Ouro Branco, chegamos ao nosso destino.

Cometemos alguns erros ao encontrar a pousada, o que foi péssimo, pois andar de carro nessa cidade é uma verdadeira tortura devido às intensas subidas, descidas, pedras, buracos e ruas estreitíssimas.

Quando enfim chegamos à pousada foi um alívio. Neste dia não saímos, preferimos descansar e planejar um roteiro dos lugares a conhecer nos próximos dois dias em Ouro Preto. Mas tiramos algumas fotos da janela do quarto:

 

Mapa do dia

 

Hospedagem em Ouro Preto

Ficamos na Pousada Vila Rica que é uma casa colonial no Centro Histórico, em boa localização. O quarto, assim como as dependências, é rústico. O atendimento é excelente, o quarto espaçoso, o colchão confortável e na recepção tem wi-fi, jogos de tabuleiro, revistas e guias de viagem.

O café da manhã é bom e tem várias opções de pães, inclusive o tradicional pão de queijo. Além de suco natural, café, leite, bolo e frutas.

O problema da arquitetura rústica, é que a gente sente as pessoas passando pelo corredor quando a gente deita na cama, já que o piso é de madeira – grandes e soltas.

A pressão da água do chuveiro é muito forte e se reduzida a água esfria e demora a esquentar. A garagem não é no local, por isso, optamos em deixar o carro na rua.

 

Faça sua reserva aqui e ajude o blog sem pagar nada a mais por isso.banner-booking

 

 

Investimentos do dia

Hospedagem: R$ 100,00*
Combustível: R$ 89,31
Alimentação: R$ 25,80*

* Valor para 2 pessoas

Km rodados no dia: 191,1
Total de km rodados na viagem: 737,2

Quem escreve?

Prazer, pode me chamar de Naty! Sou marketeira por profissão e blogueira nas horas vagas. Moro em SP, mas já morei na Nova Zelândia e confesso que tenho uma “quedinha” pela ideia de morar fora novamente. Adoro bichos e pessoas também, inclusive as mais incompreensíveis rs! E acredito que assim como a leitura, música, e todas as formas de arte, conhecer diferentes culturas amplia nosso conhecimento sobre o outro e sobre nós mesmos.
Leia também
Nova Zelândia

Queenstown: O que fazer em 3 dias na cidade gastando pouco

Nova Zelândia

Trilha Queenstown Hill: Paisagem fascinante na Nova Zelândia

Nova Zelândia

Arrowtown: A antiga cidade do ouro da Nova Zelândia

Rotorua

Trilha na Redwoods Forest em Rotorua na Nova Zelândia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *