Paraná

19º Dia (09/01/13, qua): De Corrientes a Foz do Iguaçu

Total de Km percorridos (de carro) no dia: 636,8

Depois de uma boa noite de sono e um café da manhã super reforçado. Fomos ao banco fazer o último saque internacional da viagem, para depois seguirmos de Corrientes a Foz do Iguaçu e enfim chegarmos ao Brasil após 16 dias de viagem pelo Uruguai, Argentina e Chile. O clima estava propício para uma excelente viagem: sol, poucas nuvens e temperatura amena.

Saímos de Corrientes, capital do departamento homônimo, por volta das 12h30, levamos lanches que fizemos com os ingredientes comprados no dia anterior no supermercado em Resistencia, com o propósito de não pararmos durante a viagem, para economizamos dinheiro e mais do que isso: tempo!

E assim partimos pela Ruta Nacional 12, sentido Puerto Iguaçu, fronteira com o Brasil. Essa estrada é toda asfaltada, em pista simples e em alguns pontos duplicada. O asfalto é muito bom e passamos por três praças de pedágio: Ituzaingó (AR$ 6,50 – km 1.262), Santa Ana (AR$ 5,00 – km 1.375) e Colonia Victoria (AR$ 4,00 – km 1.551).

Durante o percurso passamos por diversas lagoas.

Na fronteira do departamento de Corrientes com Misiones apenas tivemos que reduzir a velocidade, mas em nenhum momento fomos parados pela polícia.

Logo paramos para abastecer em Candelaria (cidade argentina de Misiones), num posto da rede YPF, enchemos o tanque com nafta Super, por AR$ 7,29 o litro. Com isso chegamos até Puerto Iguazú.

Antes de chegar na cidade a estrada passa pelo Parque Nacional Iguazú são poucos quilômetros com paisagem muito bela.

Na cidade fomos a um mercadinho na avenida principal e compramos alfajores para presentear amigos e familiares; e depois fizemos mais um abastecimento para acabar com nossos pesos argentinos, colocamos AR$ 66,50 que rendeu quase 9 litros de nafta Premium ao valor de AR$ 7,80 por litro.

Passamos pela aduana argentina sem burocracia, apenas devolvemos o papel que recebemos na aduana em nossa volta a Argentina pela Cordilheira dos Andes, vindo do Chile, e fomos liberados rapidamente. Não havia ninguém na aduana brasileira, passamos direto sem precisar parar.

Paramos na Ponte Internacional Tancredo Neves (ou “da Fraternidade”), com 72 metros de altura sobre o Rio Iguaçu e quase 500 metros de comprimento, ligando a Argentina ao Brasil. O Sol estava se pondo e tiramos algumas fotos.

Era 21h30 quando chegamos ao Brasil e fomos procurar o Klein Hostel onde tínhamos reserva para nossas três noites em Foz do Iguaçu.

No caminho vimos um shopping. Mortos de fome e com saudade do tradicional arroz e feijão – mesmo sujos e fedidos – paramos para comer. Fizemos nossa refeição no Griletto e dois pratos de comida saíram por R$ 25,40. Depois da comida tomamos um suco cada no Menta Limão, a conta ficou R$ 9,80.

Alimentados seguimos a rota até o hostel e após 10 minutos chegamos. Depois de conhecer o hostel e tomar banho fizemos nossas reservas on-line para passeios pelas Cataratas do Iguaçu e pelo complexo turístico da Usina Hidrelétrica de Itaipu, em nossos 20º e 21º dia de viagem respectivamente.

 

Mapa do dia


Hospedagem em Foz do Iguaçu

Passamos três noites no Klein Hostel, Foz do Iguaçu. Foi o lugar que mais nos sentimos em casa, o atendimento é excelente e as instalações nos deixam muito a vontade. O ambiente da piscina e bar foi onde mais ficamos em nosso tempo livre, ao lado do bar tem um videogame e mesa de bilhar.

Ficamos em um quarto com banheiro privativo. O wi-fi tinha bom sinal. As toalhas de banho eram gratuitas, com uma troca a cada dois dias. Se houvesse a necessidade de trocar antes era cobrada uma taxa. A cama era confortável e o quarto espaçoso.

O único problema é que ele fica encostado na sala e recepção, e isso pode gerar constrangimento se houver barulho por lá na hora de dormir, por exemplo. Mas nós não passamos por isso.

A cozinha para uso dos hóspedes era equipada com o necessário para fazer refeições básicas. Fizemos algumas jantas lá, sem nenhum problema.

O estacionamento é junto ao hostel e está incluso nos 80 reais da diária.

 

Investimentos do dia

Hospedagem: R$ 80,00*
Alimentação: R$ 52,48*
Combustível: R$ 145,76
Pedágios: R$ 6,92
Estacionamento: R$ 4,00

* Valor para 2 pessoas

Total de km rodados na viagem: 7.506,9

Quem escreve?

Sou um típico bicho do mato! À primeira vista pareço um cara estranho, falo pouco, observo muito e quase nunca me enquadro socialmente. Adoro mapas, história e fotografia, inclusive, se eu não fosse programador poderia ser um ótimo arqueólogo. Mas tem alguns mundos onde me encaixo: em um mergulho no mar, no silêncio das montanhas, assistindo à queda de uma cachoeira e até mesmo, dentro de um bom museu.
Leia também
Nova Zelândia

Queenstown: O que fazer em 3 dias na cidade gastando pouco

Nova Zelândia

Trilha Queenstown Hill: Paisagem fascinante na Nova Zelândia

Nova Zelândia

Arrowtown: A antiga cidade do ouro da Nova Zelândia

Rotorua

Trilha na Redwoods Forest em Rotorua na Nova Zelândia

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *