Total de Km percorridos (de carro) no dia: 129,6

Depois de dormir bastante e de um café da manhã reforçado, partimos para um bate-volta a Villavicencio, uma reserva de água mineral muito conhecida na Argentina, que fica a aproximadamente 50 quilômetros de Mendoza.

Nosso principal objetivo era conhecer el camino de las 365 curvas e seguir até Uspallata pela Ruta Provincial 52.

Saímos do hostel às 14h15min, seguimos pela RP52, passamos por uma fábrica de cimentos em meio ao deserto e havia muita gente fazendo churrasco na beira da estrada, provavelmente isso deve ser um costume de começo de ano, um fato muito peculiar já que aquela região é árida e estava muito calor.

Passamos por uma barreira da guarda ambiental que estava orientado as pessoas sobre os locais onde era permitido “fuego” e dos cuidados para não fazer “fuego” nos locais proibidos. Os guardas foram muito simpáticos com a gente.

Quando faltavam aproximadamente 10 quilômetros para chegarmos a Villavicencio um pneu estourou! Paramos no acostamento. Tentamos trocar o pneu, mas ele girava junto com o parafuso e a chave de roda acabou entortando e esfolando.

Começou a bater um certo desespero, estava muito calor, tínhamos pouca água e estávamos parados no meio de uma região árida e pouco movimentada. Nenhum carro, por livre e espontânea vontade parou para nos ajudar, então começamos a dar sinal para quem passava, até que uma caminhonete que seguia para Mendoza parou.

O rapaz pegou a chave de roda dele e tentou tirar o pneu do nosso carro, mas a chave era muito grande e não deu certo. Então pedimos para ele chamar os guardas que estavam à frente.

Em pouco tempo os guardas chegaram e com toda simpatia tentaram ajudar. Porém nenhuma ferramenta deu certo. A solução foi parar algum carro popular, parecido com o nosso, para emprestar uma chave de roda. Os próprios guardas fizeram isso.

Eles pararam um Gol com uma família, a chave era do tamanho certo. O motorista e os guardas fizeram questão de trocar o pneu para gente. Apesar da “molestias” gerada por nos, eles foram super atenciosos.

Fim daquele mito criado pela Rede Globo (leia-se Galvão Bueno) de que argentino detesta brasileiro, deve ser o contrário, brasileiro odeia argentino pelas besteiras que ouve nessa emissora que atinge uma grande massa verde e amarela.

Problema resolvido, porém tivemos que cancelar boa parte dos nossos planos, pois estávamos sem estepe já no começo da viagem. Fomos só até o Hotel Termas Villavicencio sem passar por el camino de las 365 curvas, com medo de outro pneu estourar e da gente ficar na estrada.

Passamos no centro de informações da Reserva Natural de Villavicencio, pegamos alguns folhetos e visitamos um museu – sobre o local – e o Jardín de Cactus.

Depois seguimos para o Hotel Termas Villavicencio. Atualmente desativado, fica aberto para visitação do seu entorno, como a capela, jardim e mirante. A entrada é gratuita e nesse dia tinha muita gente fazendo churrasco.

Visitamos o jardim que tem espelho d’água com vista para o hotel e fontes (desativadas) com águas Villavicencio.

Depois fomos a Capilla e ao mirante que fica ao lado dela. Do mirante dá para ver várias montanhas e a RP52.